4 fatos sobre fraudes em cartões de créditos em compras online

4 fatos sobre fraudes em cartões de créditos em compras online

Os cartões de crédito em compras online representam a forma de pagamento mais utilizada no meio. E, infelizmente, também são os principais alvos de fraudadores. Para se ter uma ideia, o Brasil é o segundo país com maior número de fraudes, segundo pesquisa conduzida pela Global Consumer Card Fraud 2016.

Dados da pesquisa mostram que 49% dos consumidores do país afirmaram já ter passado por situações que se caracterizam como algum tipo de fraude com cartões nos últimos cinco anos. Na última pesquisa feita em 2014, o país estava na oitava posição.

Entretanto, esses não são os únicos fatos relacionados às fraudes. Há outros que você precisa conhecer! Saiba mais com este post!

1. Há mais de um tipo de fraude

Em linhas gerais, as fraudes com cartão de crédito ocorrem quando alguém rouba os dados do cartão e faz compras com ele sem o consentimento do titular ou, ainda, quando alguém próximo ao titular ou o próprio dono do cartão fazem a compra e  este último notifica a prestadora que não foi ele. São as chamadas fraudes de Roubo de Dados, Amigável e Autofraude, respectivamente. Nesse caso, os valores são estornados e o prejuízo fica com o e-commerce.

2. O endereço é a principal informação para ajudar a identificar fraudes

Nome, CPF e telefone nem sempre são conferidos pelos e-commerces (em especial pelos maiores) no momento da compra, quando a loja virtual solicita os dados do titular do cartão.

Isso acontece porque o Brasil e tantos outros países não contam com uma forma de verificação automática dessas informações. Em negócios grandes, a verificação não é feita manualmente e não é possível saber se o comprador é mesmo o titular. Na maioria dos e-commerces, o validador mais utilizado é o endereço.

3. O fluxo de venda é mais simples do que parece

Muitos e-commerces não adotam um intermediador de pagamento e não apresentam problemas por conta disso. Eles apenas precisam estar conectados a um adquirente e realizar suas transações de venda. Isso porque o fluxo do cartão de crédito ocorre de duas formas: a pré-autorização e a autorização.

A pré-autorização ocorre quando o vendedor solicita a reserva de um determinado valor do limite do cartão do cliente, por períodos pré-definidos que vão assegurar que o lojista receba pelo serviço prestado.

Esse método é bastante utilizado por hotéis em reserva pela internet. O hotel solicita a reserva do valor referente à estadia, informando quando o hóspede chega e quando ele vai embora. Então, o valor é cobrado e lançado na fatura. Vale ressaltar que a pré-autorização não é obrigatória.

A autorização é um tipo de transação que é enviado ao emissor do cartão com resposta imediata. A prestadora aprova ou nega a transação.

4. Análises de risco são as principais ferramentas antifraude

Realizar análises de risco (internas ou externas) e criar políticas para assegurar as vendas no ambiente digital são outras formas de diminuir as chances de fraude com cartões de crédito em compras online. É importante frisar que nem sempre é possível eliminar completamente as fraudes, mas é possível ter metas de redução realistas.

Gostou do que leu? Aproveite e descubra também sobre o perigo das fraudes no e-commerce!