4 formas de identificar uma fraude em transações

4 formas de identificar uma fraude em transações

O e-commerce é um dos modelos de negócio em maior destaque no mercado. Juntamente com esse sucesso, surge uma série de preocupações, pois esse modelo está sujeito à fraude em transações online.

fraude nesse comércio se dá basicamente por meio de compras com o uso do cartão de crédito, mas deixar de aceitá-los está longe de ser uma realidade possível. A maior parte das transações financeiras ocorre por meio de cartões e, ao contrário do que acontece no comércio convencional, no e-commerce os prejuízos da fraude são de responsabilidade do lojista. Isso acontece pois a autenticação da compra não é feita por meio de autorização por senha, como nas lojas físicas.

 

 

Para evitar prejuízos, a primeira atitude é ficar atento às transações realizadas, quando o perfil do volume de compras ou do comprador muda, mas isso por si só não é o suficiente. É preciso acompanhar alguns indicadores de fraude no seu comércio eletrônico. Pensando nisso, separamos os 4 principais indicadores que devem ser considerados para identificar fraudes em seu negócio.

1. Índices de chargeback”

Chargebacks ou estornos acontecem quando o proprietário do cartão contesta o lançamento junto à operadora de crédito e o lançamento é cancelado. Esse índice pode ser calculado dividindo o número de estornos pelo número de vendas recebidas no cartão de crédito.

As operadoras de cartão recomendam que o indicador de chargeback não ultrapasse 1% do faturamento total. Empresas que ultrapassam esse limite podem levar advertências ou até mesmo serem suspensas e pararem de receber pedidos com pagamentos no cartão.

Apesar da tolerância das operadoras de cartão, o ideal é que esse índice fique abaixo de 0,5%, acima disso é preciso se preocupar com problemas de fraude.

2. Aumento das análises manuais

Quando o sistema barra algum pedido por ser considerado suspeito, ele acaba indo para revisão manual, ou seja, alguém deverá analisar e liberar o pedido. O ideal é que a necessidade dessas análises permaneça abaixo dos 10%, acima disso pode ser um indicador de que seu e-commerce está suscetível à fraude.

Apesar de essa análise ser eficaz para diminuir o índice de chargeback, ela acaba sendo mais onerosa para a empresa, pois além de custar mais, prejudica a experiência de compra do cliente devido ao tempo de espera da autorização.

É preciso equilibrar as taxas de aprovação automática e manuais. Da mesma forma que a manual pode ser mais custosa, a aprovação automática de todos os pedidos pode facilitar que seu comércio seja fraudado.

3. Queda na taxa de rejeição de pedidos

A taxa de rejeição de pedidos é representada pelo número de compras que são negadas pelo sistema ou após a análise manual, por ser considerado suspeito ou inconsistente. É preciso estar atento, caso esse índice esteja abaixo de 1%, pois seu comércio pode estar sendo fraudado e seu sistema de análise sendo ineficiente.

Por outro lado, um aumento na taxa de rejeição pode estar fazendo com que pedidos fidedignos estejam sendo perdidos, sendo assim, é preciso ter um equilíbrio, assim como nas taxas de análise manuais.

4. Aumento de pedidos incomuns

Além dos índices, é preciso conhecer o perfil dos seus compradores e das suas vendas. Atente-se a algumas mudanças, como pedidos com valores maiores que o habitual e com muitos itens iguais, e também a compras múltiplas em um mesmo cartão. Por mais que em um primeiro momento isso possa parecer lucrativo, é um indicador de fraude e deve ser analisado cuidadosamente antes da liberação do pedido.

Também é preciso prestar atenção a vários pedidos com um mesmo endereço de entrega, mas feitos em cartões e endereços de cobranças diferentes.

Conhecendo essas formas de prevenir fraude e mantendo-as sob constante avaliação, é possível identificar se o seu comércio está dentro dos limites aceitáveis de fraude.

Para evitar a fraude em transações online, é preciso investir em certificados e sistemas antifraude. Assim, você garante que seu negócio continue lucrativo e competitivo. Quer saber mais sobre esse assunto? Que tal ler também nosso post “Segurança online: como fazer transações de compra online mais seguras?”!