Aumentam as fraudes com cartões no Brasil

Aumentam as fraudes com cartões no Brasil

Fraudes com Cartão

A ACI, provedora internacional de soluções de pagamento, realizou pesquisa com titulares de cartões (crédito, débito, pré-pago) no Brasil em 2016 e levantou que aproximadamente 49% dos entrevistados sofreram fraudes envolvendo cartões nos últimos 5 anos.

Ainda mais preocupante que a grandeza do número é a tendência de crescimento: essa estatística era de 30% dois anos antes. Em termos mundiais estamos em segundo lugar, à frente de Estados Unidos (47%), Austrália (40%) e Índia (37%), atrás apenas do México (56%).

E uma das principais consequências desses delitos é a perda da confiança nas entidades envolvidas: 42% dessas pessoas usam menos o cartão substituto, prejudicando a empresa emissora do cartão e os bancos.

Mas não são apenas essas empresas que sofrem com a falta de confiança: os e-commerces e lojas convencionais onde os cartões fraudados foram usados também são duramente afetados. Na realidade, eles perdem em três vezes:

  • Perdem financeiramente: além de não conseguir recuperar o que foi vendido, arcam com chargebacks, multas, penalizações e ressarcimentos.
  • Perdem os clientes vítimas das fraudes, que não comprarão mais.
  • Perdem outros clientes que não foram vítimas, mas que tem receio de comprar em lojas vulneráveis a fraudes.

Portanto, é essencial às lojas convencionais e, principalmente, às lojas virtuais combater as fraudes envolvendo cartões.

 

Entendendo as fraudes

A primeira ação que deve ser tomada é entender como as fraudes podem acontecer. Vamos utilizar como exemplo o pagamento de compras com cartões de crédito fraudados:

  • Nas compras feitas em lojas físicas convencionais, o cartão físico tem que ser apresentado. Portanto, nas compras fraudulentas, o fraudador usará um cartão roubado ou clonado.
  • Nas compras feitas em e-commerces, basta ter as informações do número do cartão, do nome do titular e do código de verificação para efetuar pagamentos. Esses dados podem ser comprados de organizações criminosas especializadas.
 

Combatendo as fraudes – Passo 1

Agora que sabemos como as fraudes podem acontecer, o primeiro passo a ser dado é analisar a idoneidade do comprador:

  • Lojas físicas: o lojista deve verificar se a pessoa que está usando o cartão é o seu titular. Isso pode ser feito analisando documento de identificação com foto (fique atento com a autenticidade dos documentos).
  • e-Commerces: neste caso, nem sempre é possível realizar a análise de documentação. O que pode ser feito é analisar o comprador pelas informações do cadastro (consultas podem ser feitas no site da Receita Federal e nas redes sociais).
 

Combatendo as fraudes – Passo 2

O próximo passo é encontrar indícios de fraude:

  • Lojas físicas: existem ferramentas muito úteis como a consulta de dados do cartão de crédito. A partir dela, é possível conferir se as informações do cartão apresentado são verdadeiras. Caso haja inconsistências, é provável que o cartão seja clonado.
  • e-Commerces: avaliar o processo de compra do cliente como, por exemplo, quantas tentativas de pagamento foram realizadas e quantos números de cartões foram utilizados pode dar uma boa sensibilidade.Outro ponto que pode ser verificado é se a compra está de acordo com o comportamento histórico desse cliente, em termos de produtos, valores e frequência.

 

Os procedimentos que descrevemos aqui são básicos mas bastante valiosos na prevenção de fraudes. Infelizmente, a cada dia os fraudadores aperfeiçoam suas técnicas e o número de informações a serem verificadas se torna cada vez maior.

Para os casos em que a complexidade e/ou o custo tenham se tornado muito grandes, podem ser adotadas soluções antifraude especializadas que utilizam avançadas técnicas para capturar fraudes com boa relação custo-benefício.

Se você tem dificuldades com fraudes, entre em contato conosco.