Desenvolvido por
Categoria: E-commerce

Gestão de e-commerce: 5 boas práticas para você seguir à risca

Gestão de e-commerce: 5 boas práticas para você seguir à risca

Investir em uma loja virtual é, sem dúvida, uma excelente opção para os empreendedores, nos dias atuais. Com os avanços tecnológicos e as inúmeras possibilidades da internet, aumenta cada vez mais o número de clientes que prefere fazer as suas compras na comodidade de casa ou trabalho. Entretanto, é preciso ter em mente que, para o sucesso do negócio, é necessário fazer uma boa gestão de e-commerce.

Isso vai muito além de oferecer bons produtos e condições de pagamento. O gestor deve observar todas as etapas do processo, garantindo que a experiência do cliente seja a melhor e mais segura possível.

Confira, aqui, 5 práticas que podem fazer toda a diferença no seu e-commerce!

 

 

1. Tenha um site responsivo

Pesquisas indicam que o número de buscas feitas por dispositivos móveis, como celulares e tablets, já superou o número das buscas feitas em computadores. Isso significa que ter um site responsivo é, hoje, uma necessidade básica.

Todas as funcionalidades do seu e-commerce devem continuar ativas quando ele for acessado por um telefone. Observe que as informações e imagens não devem ser desconfiguradas e que o cliente precisa ter uma experiência agradável e eficiente. Leve isso em conta na hora de escolher a plataforma do seu site.

2. Ofereça conteúdo de interesse

É claro que o objetivo principal do seu e-commerce é vender os seus produtos. Mas para que isso aconteça de uma forma eficiente, uma boa estratégia é trabalhar com a produção de conteúdo relevante para o seu público.

Transforme o seu e-commerce em uma plataforma de informações sobre a sua área, atraindo mais clientes e fazendo com que o seu público esteja sempre online, se aproximando e confiando cada vez mais na sua marca. Você vai ver como essa mudança de paradigma vai ter um impacto imenso nas suas vendas.

3. Utilize um facilitador de pagamento

Uma das formas mais práticas e eficientes de vender online é por meio de facilitadores de pagamento. São sites e empresas especializados, que tomam conta de todo o processo de conclusão da compra.

Com esse processo, o seu cliente garante uma compra altamente segura e especializada, o que é vantajoso para todos os envolvidos, não é mesmo?

4. Analise as métricas

Algumas métricas são fundamentais para os empreendedores de e-commerce, como o número de acessos diários, a taxa de conversão, os índices de abandono de carrinho. Porém, é muito importante se lembrar que fazer essas medições pressupõe um acompanhamento atento delas.

Estabeleça uma periodicidade para avaliar o andamento da sua plataforma, e se verificar a necessidade de transformações, não pense duas vezes: continue evoluindo para garantir a satisfação dos seus clientes.

5. Pense no seu cliente

Todas as decisões relacionadas ao seu e-commerce devem ser pautadas pela experiência do seu cliente. Em vez de tentar alcançar um público cada vez maior (e muitas vezes inapropriado para o seu tipo de produto), foque em atender às necessidades e demandas do seu cliente, oferecendo a melhor experiência de compra.

Viu como a gestão de e-commerce é fundamental para o sucesso do seu negócio? Coloque em prática as nossas dicas e perceba como os resultados vão ser cada vez melhores. Lembre-se sempre de que os aspectos mais importantes do negócio são a satisfação dos seus clientes e a segurança dos seus processos – cuidar disso significa desenvolver um e-commerce que tem tudo para dar certo.

Compartilhe conosco a sua experiência na gestão do e-commerce, indicando quais os maiores desafios e como a sua empresa está lidando com eles. Deixe um comentário!

3 dicas para aumentar suas vendas usando cupons de desconto

3 dicas para aumentar suas vendas usando cupons de desconto

Quem não ama uma promoção? Por mais que já tenhamos em mente que precisamos de determinado produto e estejamos interessados em efetuar a compra, o momento decisivo acontece na hora de escolher onde comprar. Consequentemente, esse interesse vai contribuir para aumentar vendas de sua loja.

Independente do momento ser de crise ou não, o consumidor atual está acostumado a sempre pedir um desconto, às vezes esse desconto é convertido no ganho de outro produto ou em benefício para uma próxima compra, mas ele está sempre lá, como fator decisivo para o aumentar as vendas.

Nesse sentido, oferecer cupons de descontos tem sido uma alternativa para melhorar os resultados. Quer saber como aumentar suas vendas usando essa estratégia? Continue a leitura que te daremos 3 dicas!

Oferecer descontos realmente dá resultado?

Antes de saber a resposta, vamos analisar alguns dados. De acordo com uma pesquisa feita pela Hello Search, foram identificados os métodos de oferta mais utilizados e os mais lembrados na mente do consumidor na hora de uma compra. Seguem os dados abaixo:

  1. Em primeiro lugar, com 77%, vem o desconto no preço. Tal método não só é mais popular na mente do consumidor, como também é o mais utilizado.
  2. Em segundo lugar temos o famoso “Leve 3 e pague 2” com 31% na preferência do consumidor.

Notamos então, segundo os dados, que a estratégia de promoção não só é popular como também é bastante utilizada. Porém, devemos sempre ficar atentos a como utilizá-los da melhor forma para que o resultado seja satisfatório.

E como aumentar as vendas com cupons de descontos?

1. Aproveite o momento da compra

Atualmente, o consumidor digital pesquisa muito antes de comprar, isso ocorre pois a concorrência nesse meio é muito grande. Devido a isso, manter a fidelidade do cliente a uma determinada marca se torna um trabalho cada vez mais complicado.

Uma boa técnica a ser utilizada pelo comerciante digital é sempre manter acesa a chama do consumo na mente de seu cliente. Por isso, sempre que ele efetuar uma determinada compra, já prepare-o para a próxima oferecendo um cupom de desconto. Isso fará com que ele pense duas vezes antes de comprar de seu concorrente.

2. Fique de olho nos carrinhos abandonados

Talvez esse seja o problema mais comum para quem trabalho com comércio eletrônico. Ele ocorre no momento em que o cliente começa o processo de compra, mas não finaliza. Na maioria dos casos, o cliente não chega a fechar a compra por fatores como valor do frete ou pelo site possuir poucas formas de pagamento.

Nesse contexto, o cupom de desconto pode ser um excelente aliado para recuperar esse cliente. Por mais que possa parecer um problema, o cliente que abandonou o carrinho ainda está interessado no produto, só precisa de um estímulo a mais para finalizar a compra. Por isso, utilizar os dados de cadastro como e-mail e telefone para enviar um cupom de desconto pode ser uma ótima ideia para recuperá-lo

3. Incentive o aumento do ticket médio

Outra maneira bastante efetiva de aumentar suas vendas por meio do uso cupons de desconto é aumentando o ticket médio de compra. Essa estratégia consiste em fornecer um valor de desconto para o cliente estabelecendo, como condição, um valor mínimo de compra. Então, por exemplo, se você tem um cliente que costuma a fazer compras de R$100,00, você poderá fornecer um cupom de 15℅ de desconto caso ele efetue compras a partir de 200,00.

Lembre-se: em um mercado extremamente competitivo como o digital, manter o cliente interessado é a estratégia mais eficiente para alcançar a fidelização. Tem alguma dúvida sobre como aumentar as vendas da sua empresa através de cupons de desconto? Deixe um comentário!

3 ferramentas de gestão para seu e-commerce decolar

3 ferramentas de gestão para seu e-commerce decolar

A internet possui uma gama de possibilidades que têm sido cada vez mais exploradas por consumidores e empreendedores. E para aqueles que estão à frente das empresas de comércio eletrônico, é necessário saber utilizar todas as ferramentas de gestão de um negócio virtual a seu favor. A gestão de e-commerce, quando realizada corretamente, tem o poder de atrair e fidelizar seu público.

Quer saber como? Enumeramos abaixo 3 delas para que você alcance melhores resultados no seu e-commerce.

 

MailChimp: ferramenta de gestão de e-mail

O MailChimp é uma das mais conceituadas ferramentas para envio de e-mail marketing do mercado. Após se cadastrar, basta importar sua base de e-mails (ou construir uma do zero). Você também pode personalizar o layout do seu e-mail e acompanhar a gestão dos leads (pessoas cadastradas na sua lista de e-mails) com relatórios completos sobre taxa de abertura, cliques, opt-in e opt-out etc.

O MailChimp é um excelente aliado se utilizado corretamente. Porém, é preciso tomar o cuidado de usar uma lista qualificada, pois se as pessoas começarem a marcar seus e-mails como spam, você terá sua conta desativada. Uma solução prática é sempre pedir para seu cliente se ele deseja fazer parte da sua lista, isto é, se ele quer receber suas mensagens por e-mail.

Um detalhe importante: o plano free permite um total de envio de 12 mil e-mails por mês para uma base de até 2 mil leads. Acima disso, deve-se contratar um plano pago.

Google Analytics: análise de métricas

Uma ferramenta incrível para analisar diversas métricas do seu e-commerce. E o melhor: totalmente grátis. Com o Google Analytics você vai poder rastrear qualquer acesso ao seu site, o número de visitas e de páginas visualizadas, a origem das fontes do tráfego e até da localização dos visitantes, entre muitas outras informações importantes.

Com esses dados, você consegue identificar onde estão os defeitos da sua loja virtual, bem como as páginas que apresentam melhor desempenho. Desse modo, ajustes podem ser feitos facilmente para melhorar o funil de conversão e aumentar suas vendas.

Ferramentas antifraude para gestão de e-commerce

Depois de atrair o cliente e monitorar de onde veio seu acesso, é hora de garantir a segurança das informações pessoais e bancárias que serão fornecidas para o fechamento da compra. É igualmente indispensável que seu site utilize uma ferramenta antifraude para impedir a compra por meio de apropriação indevida de dados. Este mecanismo relaciona o horário da compra, o local de onde foi feita a transação e demais dados do comprador, que podem ser personalizados de acordo com a particularidade de cada e-commerce.

Utilizar uma ferramenta de gestão capaz de supervisionar a procedência de cada compra contribui para garantir a segurança do seu site. A segurança aumenta a credibilidade e esta é sinal de fidelização de clientes e de boa reputação, o que atrai mais clientes.

E você? Já conhece e utiliza essas ferramentas? Sabe de outras importantes para auxiliar a gestão do seu negócio? Deixe seu comentário aqui no blog e compartilhe conosco o seu conhecimento também!

4 erros de segurança que você não pode cometer na loja online

4 erros de segurança que você não pode cometer na loja online

Confiança e segurança são pontos-chave para conseguir manter a loja online rentável. E-commerces que possuem um ambiente seguro levam vantagem em relação àqueles que não tratam o tema com a devida seriedade. Isso ocorre porque a taxa de conversão está ligada diretamente com a segurança oferecida pelo negócio.

A preservação dos dados do cliente e das suas próprias transações são os aspectos mais importantes a serem observados. Há muitas pessoas de má índole que esperam por alguma falha para fraudar as transações e roubar dados, o que traz inúmeros problemas prejudiciais à reputação e às finanças do e-commerce.

 

erros-de-seguranca-que-voce-nao-pode-cometer-na-loja-online

 

O negócio virtual não pode errar na segurança, pois além dos motivos citados, perde fidelizações e recomendações. Para auxiliar, veja algumas quais são os erros de segurança que você não pode cometer na loja online.

1. Não criar uma política de privacidade

Uma política de privacidade deve ser redigida, e não copiada de outro site. Em linhas gerais, é o documento que determina e informa a maneira como o e-commerce utiliza, armazena e trata as informações de seus consumidores.

Esse documento tem como objetivo informar e alertar o consumidor quais dados serão coletados, como serão mantidos em sigilo, se serão compartilhados ou vendidos para outras empresas.

2. Deixar de atualizar a plataforma

Todo e-commerce possui uma plataforma que precisa ser atualizada de acordo com as especificações do fornecedor, o que vale também para extensões e patches. As atualizações são fundamentais para a correção de bugs e vulnerabilidades, que se não forem resolvidas podem comprometer o desempenho da sua loja virtual.

Geralmente a plataforma envia notificações informando sobre as atualizações e é um procedimento simples. O que você não pode ― e não deve! ― é colocar tudo a perder por não seguir esse procedimento.

Crie uma rotina para fazer esse tipo de verificação como, toda última semana do mês onde você faz o balanço de estoque, vendas, faturamento já adicionar no checklist uma verificação de atualizações.

3. Não adotar um certificado SSL

O SSL (Secure Socket Layer) é um protocolo que aumenta a segurança dos dados enviados e recebidos online pelo servidor  e o usuário. O certificado SLL atesta que o seu e-commerce não é falso, que ele criptografa para assegurar o sigilo das informações compartilhadas pelos consumidores e, principalmente, demonstra os esforços do negócio em manter o ambiente seguro para seu público. Você reconhece que um site tem esse tipo de certificado quando aparece um cadeado na barra onde está o endereço do site acessado.

Os certificados podem ser utilizados em um único domínio ou em todos os subdomínios como, por exemplo:

Você quer garantir que o seu site lojaonline.com.br será acessado com HTTPS e estará criptografado porém, se você tiver o domínio, blog.lojaonline.com.br ele não estará coberto pelo certificado simples de SSL. Para esses casos, que você queira proteger todos os domínios existem duas opções: Comprar um certificado para cada domínio a ser criptografado ou um certificado Wild Card que pode ser implementado em tudo que estiver abaixo do seu domínio.

Não há porquê não ter um certificado SLL, pois existem opções gratuitas e eficazes como, por exemplo, o Let’s Encrypt!

4. Não fazer testes de segurança na loja online

Todos os dias são criadas novas ameaças e nem sempre os desenvolvedores têm capacidade de acompanhá-las, o que pode tornar o ambiente virtual vulnerável. Por essa razão, é importante ter um suporte que faça testes, acompanhe as vulnerabilidades em sua plataforma e servidor.

Mencionamos algumas das medidas básicas que toda loja online precisa seguir. Tão importante quanto os aspectos financeiros e de marketing, são as medidas que asseguram as transações envolvendo a segurança e confidencialidade dos dados. E caso a sua loja virtual não adote medidas protetivas, pode perder vendas.

A lista pode ficar maior conforme o tamanho e estrutura do e-commerce, daí a necessidade de se manter sempre alerta para esses pontos.

Nosso post foi útil para você e seu empreendimento? Deixe seu comentário e compartilhe suas dúvidas, sugestões e experiências conosco!

Como montar o mix de produtos ideal para seu e-commerce

Como montar o mix de produtos ideal para seu e-commerce

Uma dúvida muito comum para os novos empreendedores em e-commerce é: o que vender em sua loja virtual? Se você está na estrada há mais tempo, também já deve ter parado para se perguntar se está vendendo a coisa certa do jeito certo, não é mesmo? As respostas para essas questões sempre envolverão a escolha de um bom mix de produtos.

Começando pela definição, um mix de produtos é o composto, grupo ou categoria de produtos e suas divisões, com o qual uma empresa escolhe trabalhar e vender em sua loja, no caso, virtual. A decisão por um mix de produtos envolve vários fatores e não existe uma fórmula única, mas o melhor caminho a seguir é a definição do público-alvo a ser atingido.

 

como-montar-o-mix-de-produtos-ideal-para-seu-ecommerce

 

Por meio da observância dos hábitos, preferências e comportamento do seu público-alvo, você conseguirá descobrir o que oferecer para ele, focando em soluções para seus problemas e suprir suas necessidades.

Mas como montar o mix de produtos ideal para um e-commerce? É o que falaremos a seguir! Continue a leitura para saber!

Focar em profundidade ou amplitude?

Profundidade, sem dúvidas. A melhor escolha é optar pela variedade dentro de uma mesma categoria de produtos, e não várias categorias diferentes. Isso se deve ao fato de que é necessário criar uma identidade e reputação para o seu negócio, portanto, não é indicado focar em vender um pouco de várias categorias de produtos, mas sim vender muito de uma única categoria.

Se tornar especialista naquilo que você vende é a grande questão, assim, sua empresa se torna uma referência para os clientes e acaba criando autoridade no mercado.

Dessa forma, seu negócio se torna mais viável e seu trabalho um pouco mais fácil. Pense em como é desgastante ter que administrar várias linhas de produtos diferentes, cadastrá-los no site com informações e imagens adequadas, lidar com vários fornecedores e com a logística, sem falar na limitação do seu caixa.

A decisão de ampliar seu mix de produtos deve ocorrer à medida que sua marca vai se consolidando no mercado e fortalecendo seu vínculo com os clientes. Assim, é possível começar a introduzir novas nichos de produtos ao negócio, e aqueles que tiverem maior aceitação e se encaixarem melhor nas estratégias da empresa ganharão maior destaque, e assim por diante.

Preço x exclusividade

Bom, você sabe que não adianta querer concorrer com as grandes empresas de e-commerce no quesito preço competitivo, e também não é uma boa opção vender o que todo mundo vende.

Trabalhar com um produto exclusivo e de alto valor agregado é o que vai garantir sua diferenciação diante dos concorrentes e maior rentabilidade.

Armazenamento e logística

Quando se trabalha com uma grande variedade de categorias de produtos, o controle de estoque pode ser um problema. Gerenciar prazos de validade, diversidade de tamanhos, volumes, cores e padrões demanda muito mais atenção e organização do que focar em apenas um tipo de produto.

Pense também na questão do envio para os clientes, trabalhar com vários produtos diferentes demandará formas de manuseio, embalagens e fretes muito diversificados, o que pode acarretar em maiores custos e consequente aumento nos preços de venda.

Por fim, tenha em mente que parecer grande sem conseguir entregar qualidade ao cliente representa uma falha que pode ser a ruína do seu negócio. Disponibilizar o mix de produtos ideal para o seu público-alvo, atendendo suas necessidades e com o intuito de fazer diferença na vida do consumidor é o melhor caminho para seu e-commerce conseguir destaque e sucesso num mercado tão competitivo e instável.

Gostaria de compartilhar alguma observação ou dúvida sobre o assunto? Deixe seu comentário e participe!

10 dicas para atrair clientes para a sua loja virtual

10 dicas para atrair clientes para a sua loja virtual

Ter uma loja virtual de sucesso, atualmente, passou a ser o desejo de muitos empreendedores que descobriram na internet uma excelente fonte de renda. O aumento no número de lojas criadas diariamente impactou no nível da concorrência entre elas, que é cada vez mais alto.

 

10-dicas-para-atrair-clientes-para-a-sua-loja-virtual

 

Como sobreviver nesse cenário onde a competição está tão acirrada? Existem alguns passos que podem ser seguidos por quem deseja atrair novos clientes. Confira 10 dicas para atrair clientes para a sua loja virtual:

1. Melhore os conteúdos dos produtos

Você já parou para avaliar a qualidade das descrições dos produtos de sua loja virtual? Elas são interessantes o suficiente para conquistar novos clientes? Melhore os conteúdos dos produtos, pois eles são responsáveis por descrever ao consumidor os itens que estão à venda em sua loja, apresentando diferenciais e criando a necessidade de compra.

Descreva o seu produto de acordo com a sua loja! Não tenha medo de fazer um trocadilho ou uma piada na descrição caso esteja de acordo com seu contexto.

2. Utilize imagens mais atraentes

Como estão as imagens dos produtos de seu e-commerce? Elas conseguem explicar bastante características dos produtos sem a necessidade de se ler o texto? Imagens vendedores são mais eficazes.

Aposte em fundo branco e muitos ângulos para mostrar os produtos da melhor forma possível. Quando for necessário, tire fotos com interação humana, pois isso ajuda o consumidor a entender melhor o tamanho de um item.

3. Conquiste por meio das redes sociais

Encare as redes sociais como aliadas de seu e-commerce. Por meio delas, é possível conquistar novos consumidores e realizar um atendimento rápido e eficiente para quem já compra em sua loja. Esteja presente no máximo possível de redes sociais e desenvolva um trabalho sério e comprometido com a conquista de novos clientes.

4. Ofereça benefícios exclusivos

Qual é o diferencial da sua loja virtual? Ofereça benefícios exclusivos aos compradores de sua loja online para conseguir mantê-los fiéis à sua marca. Vale apostar em frete grátis, desconto progressivo e condições de parcelamento diferenciadas e até mesmo produtos exclusivos.

5. Tenha um preço competitivo

Se os preços do seu e-commerce estiverem muito acima dos que são praticados no mercado, você só conseguirá se destacar perante os concorrentes e atrair novos clientes caso ofereça algo a mais, como benefícios exclusivos. Verifique a possibilidade de reduzir os preços e seja mais competitivo nessa área diante dos concorrentes.

6. Trace estratégias por meio de e-mail marketing

O e-mail marketing não serve apenas para sinalizar aos consumidores quando sua loja online tem uma grande oferta. Por meio de estratégias desenvolvidas com ele, é possível nutrir leads e transformá-los em clientes. Utilize o e-mail marketing para oferecer conteúdos, descontos, relembrar carrinhos de compra abandonados e apresentar novidades.

7. Melhore o check-out do seu e-commerce

Alguns consumidores podem enfrentar problemas no check-out do seu e-commerce, que pode ser confuso ou pedir informações demais. Lojas virtuais que facilitam o processo de check-out são mais bem avaliadas pelos consumidores, que costumam retornar mais vezes e indicá-las para seus amigos por causa da facilidade.

8. Ofereça mais meios de pagamento

Tente não colocar muitos limites nas ações de seus consumidores. Quando o assunto for meios de pagamento, ofereça o máximo possível. As diversas formas de pagamento tendem a incentivar a compra em sua loja, pois dessa forma, cada consumidor se sente à vontade para comprar da maneira que lhe é mais conveniente.

9. Tenha um site responsivo

Com o advento de novas tecnologias e o aumento no acesso à internet, é muito comum que os consumidores passem a acessar seus sites preferidos por meio de dispositivos como smartphones e tablets.

Esses dispositivos têm telas menores, de diferentes tamanhos, o que exige do seu site uma adaptação para que a navegação nele não seja comprometida. Para isso, é necessário adaptar sua loja para que o site dela se torne responsivo.

10. Invista na segurança do seu e-commerce

Se o ambiente de compra não é seguro para os consumidores, por que eles fariam compras em sua loja virtual? Invista na segurança dela para que os atuais consumidores e os futuros possam se sentir à vontade para realizar suas compras, informar seus dados e efetuar pagamentos. Na internet, a segurança é fundamental.

Preparado para atrair clientes para sua loja virtual? Deixe seu comentário no post e nos conte quais dessas iniciativas faltam em seu e-commerce e quais você já colocou em prática.

Segurança online: como fazer transações de compra online mais seguras?

Segurança online: como fazer transações de compra online mais seguras?

Nos últimos anos, o comércio eletrônico tem vivido o seu auge. A expansão da internet e os avanços tecnológicos fizeram com que essa modalidade de compra caísse no gosto do consumidor, trazendo consigo o desafio da segurança online.

como fazer transações online seguras

Com o aumento das compras via internet, expandiu-se também o número de fraudes nas transações. Por isso, os proprietários de e-commerce devem estar sempre atentos a soluções de segurança, para que esse tipo de problema não acarrete em perda de vendas devido à desconfiança dos clientes.

Apesar do aumento nas fraudes, o cenário para quem apostou nesse segmento é muito promissor, principalmente porque existem meios de coibir e evitar esses contratempos em sua loja virtual. Quer saber como? Continue acompanhando este post e veja como tornar as transações online mais seguras.

Como tornar suas transações online mais seguras?

Acabar com as fraudes eletrônicas é uma tarefa árdua. Entretanto, as empresas devem procurar meios que dificultem a atuação dos criminosos. É preciso ter em mente a necessidade de antecipar-se à fraude, investindo em segurança online.

Confira algumas estratégias que podem ser aplicadas em sua empresa:

Fique atento ao momento da fraude

As fraudes costumam ocorrer nas fases de abertura da conta (cadastro do consumidor), na autenticação (login no sistema) e na invasão da conta. Entretanto,  podem ocorrer fraudes no pagamento da compra efetuada online, inclusive, é o tipo de fraude que mais ocorre no dia de hoje em vários setores. Portanto, invista em mais segurança nessas etapas da compra online.

Não atinja o cliente com as suas ações de segurança

Esse pode ser um erro fatal, com consequências negativas para a sua empresa. O consumidor não pode ser afetado e encontrar dificuldades excessivas ao realizar compras no seu e-commerce, pois isso poderá afastá-lo e começar a afastar outros compradores pelo feedback negativo que pode ser passado.

Tenha em mente que as estratégias de segurança têm prazo de validade

Um ponto muito importante nessa guerra contra os fraudadores é a atualização das estratégias de segurança. Isso porque, com o tempo, os criminosos podem conseguir passar pelas barreiras de proteção.

É sempre importante estar atento e ver sempre que você nunca pode deixar o combate cair.

Segurança online: o que fazer para o cliente se sentir mais seguro?

Ainda que você tenha um bom sistema de defesa, é importante fazer com que o cliente tenha confiança em seu site e possa realizar as compras normalmente.

Para isso, invista em divulgação de conteúdos relacionados ao tema em suas redes sociais: isso fará com que o consumidor veja que sua empresa está preocupada em manter as compras online seguras.

Outra dica valiosa é apostar em certificados digitais. Apesar de ter um custo inicial, eles garantem a integridade do seu empreendimento. Portanto, adquira e divulgue os selos em seu site de forma bem clara, para que o cliente tenha certeza de que está em um ambiente seguro.

Busque empresas confiáveis e experientes no ramo da segurança online para lhe auxiliar de maneira eficiente. Não se esqueça de deixar visível em seu site dados importantes, como endereço, CNPJ e meios de comunicação. Dessa forma, o consumidor percebe a credibilidade e a seriedade da sua empresa.

Viu só como a segurança online é importante? Em um mundo digital em constante evolução, seu negócio não pode se descuidar de um fator tão importante. Temos certeza de que seguindo essas dicas, você conseguirá proteger melhor as suas transações online, refletindo positivamente nas vendas e no relacionamento com os clientes.

Ainda possui alguma dúvida sobre como aumentar a segurança online em transações financeiras realizadas por sua empresa? Deixe-nos um comentário. Estamos à disposição para lhe ajudar!

6 ferramentas para e-commerce que são indispensáveis

6 ferramentas para e-commerce que são indispensáveis

Utilizar a tecnologia de forma inteligente é um ponto positivo para qualquer tipo de empreendimento, mas isso é ainda mais importante quando pensamos em uma loja virtual. Como o ambiente da internet é dinâmico e exigente, qualquer ajuda para melhorar os processos e otimizar o funcionamento é muito bem-vinda.

ferramentas-ecommerce

E é nesse contexto que alguns recursos podem facilitar bastante a vida do empreendedor digital, especialmente daqueles que estão começando ou que desejam ganhar mais espaço no mercado. Leia o conteúdo a seguir e conheça 5 ferramentas para e-commerce que são indispensáveis!

Google Trends

O Google Trends já é uma das principais ferramentas para e-commerce da atualidade. Ele serve para mostrar, por meio de gráficos simples, o volume de buscas por palavras-chave na internet, com separação por regiões e países.

Com essas informações, o empreendedor pode descobrir novas tendências de mercado, além de conhecer os termos que são mais buscados organicamente. Dessa maneira, é possível otimizar o conteúdo produzido e melhorar o ranqueamento com uma estratégia mais eficiente de SEO.

TweetDeck

É uma ferramenta do próprio twitter para rastrear engajamento, mostrar as mensagens de clientes, buscar por tópicos dentro de algumas outras funcionalidades.

É importantíssimo caso sua loja tenha uma conta no twitter, para monitorar o que andam falando sobre você. O Twitter se tornou não só um canal de divulgação mas hoje se comporta como um SAC para vários clientes que acabam tendo suas solicitações atentidas através de lá.

Algumas outras ferramentas, como o Scup, podem te ajudar a monitorar outras mídias sociais.

Zoho Support

Se você atende o seu cliente, ajuda eles por redes sociais e etc, precisará de uma ferramenta para controlar todo o seu atendimento. É pra isso que o Zoho Support está disponível.

De forma gratuira, essa plataforma permite você criar tickets de suporte para cada caso analisado por sua equipe e conseguir acompanhar isso de forma organizada até que esteja tudo resolvido.

A satisfação do seu cliente precisa acontecer e para isso precisa de organização.

Webpagetest

Nos dias de hoje, todo mundo anda com pressa. Na internet, essa realidade é ainda mais vívida e páginas que demoram a carregar são facilmente abandonadas pelos clientes. O Webpagetest é útil exatamente por isso: trata-se de um serviço gratuito que ajuda a medir a velocidade de carregamento do seu site.

A ferramenta permite executar testes simples ou avançados — e existe até uma aba para comparar a velocidade do seu negócio com a dos seus concorrentes diretos. Com os resultados, você pode saber quais páginas estão demorando mais ou se existem problemas específicos de travamento em áreas importantes, como a autenticação, o cálculo de frete ou os meios de pagamento, por exemplo.

Google Analytics

Outra das mais conhecidas ferramentas para e-commerce é o Google Analytics. Ela tem como principal função a geração de estatísticas detalhadas sobre os usuários do seu e-commerce. Entre as informações mais úteis estão o número de visitas, as fontes do tráfego, a origem geográfica, a quantidade de visitantes novos, etc.

Esses detalhes podem ser de grande valia para avaliar o desempenho da loja e determinar quais campanhas de divulgação estão sendo bem-sucedidas e quais não estão tendo a efetividade esperada.

E-bit

Muito conhecido dos consumidores digitais brasileiros, o E-bit é um sistema que permite pesquisar o nível de satisfação dos consumidores online após o ato da compra. Essas informações são utilizadas para qualificar a empresa, trazendo mais segurança para os internautas.

Seu empreendimento pode ter grandes vantagens se contar com esse recurso, pois ele traz muito mais confiabilidade e, consequentemente, aumenta as vendas. De acordo com o número de pesquisas e a pontuação das avaliações, seu negócio pode adquirir um selo de credibilidade. Além disso, o E-bit disponibiliza gratuitamente um relatório semestral com os dados recentes do setor de e-commerce.

Gostou de conhecer as 5 ferramentas para e-commerce que são indispensáveis? Já está utilizando alguma delas? Conte para nós nos comentários!

Descubra o perigo das fraudes no e-commerce

Descubra o perigo das fraudes no e-commerce

descubra-o-perigo-das-fraudes-no-ecommerce

O mercado de vendas digitais é um dos que mais cresce todos os anos. Só em 2015, ele movimentou uma receita aproximada de R$ 63,9 bilhões no Brasil, sendo que pesquisas indicam um crescimento ainda maior até o fim de 2016. Mas apesar dos ótimos resultados, o maior desafio das empresas ainda é lidar com as fraudes no e-commerce.

O assunto é pouco debatido pelas mídias de massa, porém, fraudes podem causar graves prejuízos para um negócio digital. Partindo desses problemas, é imprescindível que um site adote algumas medidas de segurança.

Pensando nisso, elaboramos este artigo com os métodos mais comuns de fraude, e vamos apresentar as tecnologias que ajudam a evitar esse tipo de problema. Acompanhe com atenção!

Principais tipos de fraudes no e-commerce

A fraude, mesmo que na internet, pode ser considerada como uma conduta criminosa. Veja os dois métodos mais comuns:

Fraude efetiva

A fraude efetiva acontece quando um criminoso subtrai as informações de outra pessoa, como os dados do cartão de crédito e outros documentos. A compra pode ser efetivada normalmente, já que todos os dados são informados.

O problema ocorre quando o titular do cartão entra em contato com a agência financeira e alega desconhecimento das operações com o e-commerce, havendo o reembolso do valor da operação. O prejuízo é totalmente assumido pela loja, que acaba perdendo o produto e o dinheiro da venda.

Fraude premeditada

Trata-se de uma modalidade de estelionato em que o próprio titular do cartão efetua a compra, entretanto, afirma não reconhecer a operação e exige da administradora o estorno da venda. Esse tipo de crime é mais comum do que se imagina.

Perigos para os lojistas e clientes

O índice de fraudes é uma preocupação para qualquer negócio virtual, podendo até mesmo levar uma empresa à falência, já que o prejuízo financeiro da operação é, em grande parte das vezes, do lojista digital.

O grande risco do e-commerce é confiar apenas em dados cadastrais do cliente e deixar de lado as soluções especializadas em segurança. A recomendação é elaborar um planejamento estratégico e conhecer os software antifraude que se adequem ao seu modelo de negócio.

Ressaltamos que a fraude também pode trazer riscos para o cliente, mesmo que o problema não tenha ocorrido por sua culpa, já que a conduta é passível de investigação pelos órgãos especializados da polícia. Nesse sentido, a segurança do e-commerce, além de evitar os problemas da operação, ajuda a proteger os consumidores reais e aumentar suas vendas.

Métodos de segurança

Em 2015, foi elaborado um estudo pela empresa Serasa Experian que levantou várias informações sobre a prática de fraudes no e-commerce, como os dias e períodos do ano em que ocorrem a maioria dos crimes — nas madrugadas, por exemplo, os casos de fraude são mais comuns. Com essas informações em mãos, a empresa pode adotar medidas simples, instituindo apenas pagamentos com boleto nas madrugadas.

Entretanto, o melhor método de proteção está nos sistemas de antifraude. Já que existe um grande desafio entre a aprovação de vendas efetivas e dos crimes virtuais, esse tipo de tecnologia é extremamente efetiva. A tecnologia é essencial para o bom funcionamento do e-commerce, sendo importante escolher os serviços que melhor se encaixem em seu modelo de negócio.

E então, leitor? O que achou do tema? Já passou por algum tipo de fraude no seu e-commerce? Assine nossa newsletter e fique por dentro das novidades da segurança virtual!

Descubra quais são os principais meios de pagamento para e-commerce

Descubra quais são os principais meios de pagamento para e-commerce

descubra-quais-sao-os-principais-meios-de-pagamento-para-ecommerce

Escolher entre os diversos meios de pagamento para e-commerce não é fácil. Os varejistas se perdem entre tantas opções e não sabem comparar suas vantagens e desvantagens. Para ajudá-lo nessa análise, vamos explicar neste post os dois meios mais usados no mercado, seus prós e contras. Confira:

Intermediadores

Quando se contrata uma empresa intermediadora, todo o processo de pagamento do seu e-commerce é feito em um ambiente à parte do seu, fazendo com que o usuário saia do ambiente da loja, faça o cadastro no site de pagamento e, só então, finalize a compra.

Uma das maiores vantagens desse modelo é a facilidade e rapidez da implantação, além de fornecerem várias formas de pagamento: diferentes bandeiras de cartão de crédito, débito online em vários bancos e boleto bancário. As empresas costumam cobrar um porcentagem sobre cada venda e o valor varia de acordo com a forma de pagamento.

Outro ponto a favor é que você terá um único painel de controle com todas as informações relacionadas à sua conta. Eles também se responsabilizam por todo o processo de antifraude, o que corta custos da sua operação e terceiriza essa preocupação.

Mas é bom lembrar que, ao ser levado para outra página, o cliente pode não se sentir seguro e desistir da compra. Outro fator é que o intermediador faz o processo de compra ser mais longo, o que também pode resultar em abandono de carrinho.

Antes de optar um intermediador, analise as tarifas cobradas e verifique quantas transações ele consegue fazer por segundo e se esse número atende às suas necessidades.

Gateways de pagamento

Quando se opta por uma solução própria, é preciso contratar ao menos três serviços básicos:

  • Gateway: são as formas de pagamento, como boleto bancário, cartão de débito e crédito;
  • Segurança dos dados cadastrais do cliente: feita por meio dos selos e certificados de segurança;
  • Gestão de risco: vai avaliar a autenticidade da compra e gerenciar os possíveis conflitos de estoque.

Nesse modelo, a cobrança é um pouco mais complicada, porém, é relativamente mais barata e você tem mais controle sobre as suas transações e gestão financeira. Além de não tirar o cliente da sua página, ele também permite que o pagamento seja feito em dois cartões de crédito.

Por outro lado, implantar esse sistema não é tão rápido e, apesar de ter tarifas menores do que os intermediadores, elas são mais numerosas. Outro contra são as tarifas de ativação que os gateways cobram.

Na hora de escolher, veja se sua plataforma é compatível com o gateway escolhido. Verifique também a tarifa cobrada pelos bancos, operadoras de cartões, além das taxas de ativação e fixas.

O pagamento é uma das etapa mais delicadas de uma operação e isso pode fazer toda a diferença entre reter e perder um cliente. Por isso, toda atenção e análise são preciosas na hora de escolher qual dos meios de pagamento você deve utilizar.

Ainda ficou com alguma dúvida sobre meios de pagamento para e-commerce? Deixe um comentário aqui no blog e nos conte suas dúvidas!