Desenvolvido por
Categoria: Sem categoria

Como montar um time de análise de risco?

Como montar um time de análise de risco?

Uma das principais dúvidas quando se fala em combate a fraude é quem realizará esse processo?

É necessário ter uma equipe de confiança para fazer esse trabalho e, sem sombra de dúvidas, ela o componente mais importante de todo o processo de análise de risco.

 

time de análise de risco

 

Sempre que abordamos esse assunto com clientes e amigos, logo vem a pergunta: qual perfil que um profissional dessa área deve ter?

Consideramos que essa pessoa deve ter uma mistura de algumas características pessoais com experiências profissionais. Confira abaixo os pontos.

Características pessoais

  • Curiosidade: no contexto de combate à fraude, a curiosidade levará a pessoa a investigar em cada venda a existência de características suspeitas. Por exemplo: em uma determinada venda, o endereço de entrega e o endereço de cobrança são diferentes. Ao notar essa diferença, o profissional tentará entender se esse fato indica algum risco na venda.
  • Comunicação e raciocínio rápido: em muitos casos, para chegar a uma conclusão, é necessário conversar com pessoas de varias áreas da empresa, saber como funciona a venda do produto X do setor A e como funciona a venda do produto Y do setor B. Não ter receio de acessar várias pessoas, conseguir se expressar de forma clara e ligar rapidamente os pontos são características essenciais.
  • Espírito de dono: a pessoa necessita tomar a dor da fraude como sua e buscar ao máximo barrar as vendas fraudulentas.
  • Atitude: inevitavelmente o profissional estará envolvido em situações difíceis. Ter jogo de cintura e atitude para transpor as barreiras que aparecerem é pré-requisito.
  • Mente aberta: o fraudador é o melhor exemplo da “metamorfose ambulante” imortalizada por Raul Seixas. E pelo outro lado, o profissional que combate as fraudes não pode ter aquela velha opinião formada sobre tudo. Precisa deixar os preconceitos de lado e estar em constante atualização.

 

Experiências profissionais

Diferentemente de algumas características pessoais, as experiências profissionais podem ser adquiridas. A decisão de contratar uma pessoa mais experiente depende do papel que ela desempenhará na equipe e quanto tempo ela terá para se preparar.

  • Conhecimento do negócio: saber como funciona o mercado e seus produtos / serviços ajuda muito a ter uma análise mais rápida e assertiva.
  • Experiência no combate à fraude: conhecer os processos e as etapas do combate à fraude na prática traz clareza e tranquilidade na tomada de decisão.

 

Outros pontos relevantes

Além de escolher profissionais qualificados, outros dois pontos necessários para alcançar o sucesso são:

  • Treinamento e reciclagem: o profissional precisa ter uma série de conhecimentos para poder desempenhar sua função de forma efetiva. Além disso, deve estar sempre atualizado. Seguem alguns itens que devem ser trabalhados.
    • Conhecimento do negócio, da empresa e seus processos, das ferramentas que utilizará no dia-a-dia.
    • Conhecer o submundo das fraudes e técnicas de combate.
  • Metas: o estabelecimento de metas ajuda a equipe a manter o foco no que deve ser feito. Não se esqueça de mesclar objetivos mensuráveis com metas de desenvolvimento profissional.

Este é um assunto muito mais extenso e que rende bastante tempo de conversa… Se você está contratando pessoas ou precisa de mais informações, nos envie um e-mail que teremos o maior prazer em ajudar!

Até a próxima!

 

Descubra quais são os principais meios de pagamento para e-commerce

Descubra quais são os principais meios de pagamento para e-commerce

descubra-quais-sao-os-principais-meios-de-pagamento-para-ecommerce

Escolher entre os diversos meios de pagamento para e-commerce não é fácil. Os varejistas se perdem entre tantas opções e não sabem comparar suas vantagens e desvantagens. Para ajudá-lo nessa análise, vamos explicar neste post os dois meios mais usados no mercado, seus prós e contras. Confira:

Intermediadores

Quando se contrata uma empresa intermediadora, todo o processo de pagamento do seu e-commerce é feito em um ambiente à parte do seu, fazendo com que o usuário saia do ambiente da loja, faça o cadastro no site de pagamento e, só então, finalize a compra.

Uma das maiores vantagens desse modelo é a facilidade e rapidez da implantação, além de fornecerem várias formas de pagamento: diferentes bandeiras de cartão de crédito, débito online em vários bancos e boleto bancário. As empresas costumam cobrar um porcentagem sobre cada venda e o valor varia de acordo com a forma de pagamento.

Outro ponto a favor é que você terá um único painel de controle com todas as informações relacionadas à sua conta. Eles também se responsabilizam por todo o processo de antifraude, o que corta custos da sua operação e terceiriza essa preocupação.

Mas é bom lembrar que, ao ser levado para outra página, o cliente pode não se sentir seguro e desistir da compra. Outro fator é que o intermediador faz o processo de compra ser mais longo, o que também pode resultar em abandono de carrinho.

Antes de optar um intermediador, analise as tarifas cobradas e verifique quantas transações ele consegue fazer por segundo e se esse número atende às suas necessidades.

Gateways de pagamento

Quando se opta por uma solução própria, é preciso contratar ao menos três serviços básicos:

  • Gateway: são as formas de pagamento, como boleto bancário, cartão de débito e crédito;
  • Segurança dos dados cadastrais do cliente: feita por meio dos selos e certificados de segurança;
  • Gestão de risco: vai avaliar a autenticidade da compra e gerenciar os possíveis conflitos de estoque.

Nesse modelo, a cobrança é um pouco mais complicada, porém, é relativamente mais barata e você tem mais controle sobre as suas transações e gestão financeira. Além de não tirar o cliente da sua página, ele também permite que o pagamento seja feito em dois cartões de crédito.

Por outro lado, implantar esse sistema não é tão rápido e, apesar de ter tarifas menores do que os intermediadores, elas são mais numerosas. Outro contra são as tarifas de ativação que os gateways cobram.

Na hora de escolher, veja se sua plataforma é compatível com o gateway escolhido. Verifique também a tarifa cobrada pelos bancos, operadoras de cartões, além das taxas de ativação e fixas.

O pagamento é uma das etapa mais delicadas de uma operação e isso pode fazer toda a diferença entre reter e perder um cliente. Por isso, toda atenção e análise são preciosas na hora de escolher qual dos meios de pagamento você deve utilizar.

Ainda ficou com alguma dúvida sobre meios de pagamento para e-commerce? Deixe um comentário aqui no blog e nos conte suas dúvidas!

Como escolher a melhor plataforma de e-commerce?

Como escolher a melhor plataforma de e-commerce?

como-escolher-a-melhor-plataforma-de-ecommerce.jpeg

Uma das principais dúvidas de quem está querendo abrir uma loja virtua é: qual a melhor plataforma de e-commerce para o meu negócio? É esse o seu caso?

Essa pergunta é muito pertinente, afinal a plataforma é um dos principais fatores que deve ser levado em conta ao criar a sua loja virtual, pois ela determinará o seu investimento inicial, sua capacidade de crescimento, a forma de se relacionar com os clientes, segurança, entre outros.

Acompanhe esse post que elaboramos para te ajudar a tomar a melhor decisão!

Saiba exatamente do que você precisa

Segundo pesquisa realizada pelo Sebrae, a principal causa de morte das empresas é a falta de planejamento. Portanto, antes de escolher a plataforma, valide a sua ideia e formule um plano de negócios.

O plano deve conter, entre outras coisas, qual a sua perspectiva de crescimento, o capital a ser investido, público-alvo e formas de pagamento.

Tenha um painel de controle intuitivo e com recursos

O gerenciamento da sua loja virtual deve ser o mais simples e intuitivo possível. Para que isso ocorra, a plataforma deve contar com um bom painel de administração, o que envolve cadastro de produtos em poucos passos, inserção de imagens e vídeos com poucos cliques.

Ter uma área para controle de estoque e pedidos, ferramentas de marketing como cupons de desconto e newsletter, opções de frete e meios de pagamento acoplado e de fácil configuração são outros itens importantes a serem considerados.

Foque na usabilidade

A melhor plataforma tem que proporcionar a melhor usabilidade para o seu público. Lembre-se que esse é um dos fatores mais importantes para a conversão no e-commerce.

Ao ter uma aparência genérica, o cliente não criará identidade com o seu negócio ou a usabilidade poderá não ser a ideal para o seu público. E tudo isso pode significar menos vendas.

O ideal é que o cliente consiga finalizar uma compra com no máximo 3 cliques.

Veja o que não pode faltar

Independentemente da plataforma que você utilizar, alguns fatores são indispensáveis, como:

  • Ferramentas de SEO (Otimização para os motores de busca como Google, Bing e Yahoo);
  • Ser compatível com os principais navegadores;
  • Ser responsivo (adaptar-se a celulares, tabletes e PCs);
  • Integração com Google Analytics;
  • Integração com diversos meios de pagamento;
  • Integração com correios;
  • Integração com sistemas de segurança.

Saiba que preço não é a coisa mais importante

O fator preço dependerá da necessidade identificada no seu plano de negócios.

Se você está no início, uma alternativa de baixo investimento é a plataforma grátis. Apenas certifique-se que os recursos que você precisa estarão disponíveis, pois existem limitações em termos de ferramentas, quantidade de produtos ou páginas visitadas.

Se você deseja personalização, planeja crescimento no médio ou longo prazo, mas não quer realizar um grande investimento, alugue uma plataforma. Nesse modelo você paga um valor mensal fixo, percentual sobre o faturamento ou ambos, dependendo do fornecedor da plataforma. A implantação é rápida, possui flexibilidade de layout e já conta com os principais recursos do mercado.

Se o seu planejamento é de grande crescimento no longo prazo, possui capital e não quer ficar na mão de terceiros, pode contratar uma empresa para desenvolver um projeto personalizado. Para esse tipo de projeto, o ideal é que se utilize uma plataforma de código aberto, que são grátis e permite que novas atualizações sejam instaladas periodicamente.

Vá além da plataforma de e-commerce

Embora seja um dos fatores mais importantes, existem outras coisas que merecem total atenção, como a segurança.

Fraudes são mais comuns do que se imagina, e contar com uma solução antifraude adequada protegerá você e os seus clientes de prejuízos financeiros e desgaste para resolver problemas com administradores de cartão e jurídicos.

Em suma, a melhor plataforma de e-commerce é a que está melhor alinhada ao seu plano de negócios, o que envolve investimento, adequação ao público, estimativa de crescimento e facilidade de uso. Lembre-se ainda de que a segurança e usabilidade são fundamentais para garantir a melhor experiência para os seus clientes.

E agora, já se sente preparado para escolher a melhor plataforma para o seu e-commerce? Compartilhe a sua experiência conosco com um comentário abaixo!

Aumentam as fraudes com cartões no Brasil

Aumentam as fraudes com cartões no Brasil

Fraudes com Cartão

A ACI, provedora internacional de soluções de pagamento, realizou pesquisa com titulares de cartões (crédito, débito, pré-pago) no Brasil em 2016 e levantou que aproximadamente 49% dos entrevistados sofreram fraudes envolvendo cartões nos últimos 5 anos.

Ainda mais preocupante que a grandeza do número é a tendência de crescimento: essa estatística era de 30% dois anos antes. Em termos mundiais estamos em segundo lugar, à frente de Estados Unidos (47%), Austrália (40%) e Índia (37%), atrás apenas do México (56%).

E uma das principais consequências desses delitos é a perda da confiança nas entidades envolvidas: 42% dessas pessoas usam menos o cartão substituto, prejudicando a empresa emissora do cartão e os bancos.

Mas não são apenas essas empresas que sofrem com a falta de confiança: os e-commerces e lojas convencionais onde os cartões fraudados foram usados também são duramente afetados. Na realidade, eles perdem em três vezes:

  • Perdem financeiramente: além de não conseguir recuperar o que foi vendido, arcam com chargebacks, multas, penalizações e ressarcimentos.
  • Perdem os clientes vítimas das fraudes, que não comprarão mais.
  • Perdem outros clientes que não foram vítimas, mas que tem receio de comprar em lojas vulneráveis a fraudes.

Portanto, é essencial às lojas convencionais e, principalmente, às lojas virtuais combater as fraudes envolvendo cartões.

 

Entendendo as fraudes

A primeira ação que deve ser tomada é entender como as fraudes podem acontecer. Vamos utilizar como exemplo o pagamento de compras com cartões de crédito fraudados:

  • Nas compras feitas em lojas físicas convencionais, o cartão físico tem que ser apresentado. Portanto, nas compras fraudulentas, o fraudador usará um cartão roubado ou clonado.
  • Nas compras feitas em e-commerces, basta ter as informações do número do cartão, do nome do titular e do código de verificação para efetuar pagamentos. Esses dados podem ser comprados de organizações criminosas especializadas.
 

Combatendo as fraudes – Passo 1

Agora que sabemos como as fraudes podem acontecer, o primeiro passo a ser dado é analisar a idoneidade do comprador:

  • Lojas físicas: o lojista deve verificar se a pessoa que está usando o cartão é o seu titular. Isso pode ser feito analisando documento de identificação com foto (fique atento com a autenticidade dos documentos).
  • e-Commerces: neste caso, nem sempre é possível realizar a análise de documentação. O que pode ser feito é analisar o comprador pelas informações do cadastro (consultas podem ser feitas no site da Receita Federal e nas redes sociais).
 

Combatendo as fraudes – Passo 2

O próximo passo é encontrar indícios de fraude:

  • Lojas físicas: existem ferramentas muito úteis como a consulta de dados do cartão de crédito. A partir dela, é possível conferir se as informações do cartão apresentado são verdadeiras. Caso haja inconsistências, é provável que o cartão seja clonado.
  • e-Commerces: avaliar o processo de compra do cliente como, por exemplo, quantas tentativas de pagamento foram realizadas e quantos números de cartões foram utilizados pode dar uma boa sensibilidade.Outro ponto que pode ser verificado é se a compra está de acordo com o comportamento histórico desse cliente, em termos de produtos, valores e frequência.

 

Os procedimentos que descrevemos aqui são básicos mas bastante valiosos na prevenção de fraudes. Infelizmente, a cada dia os fraudadores aperfeiçoam suas técnicas e o número de informações a serem verificadas se torna cada vez maior.

Para os casos em que a complexidade e/ou o custo tenham se tornado muito grandes, podem ser adotadas soluções antifraude especializadas que utilizam avançadas técnicas para capturar fraudes com boa relação custo-benefício.

Se você tem dificuldades com fraudes, entre em contato conosco.

Cuidado com os emails, podem ser uma fraude!

Cuidado com os emails, podem ser uma fraude!

No Brasil, além das belezas naturais, o carnaval e o futebol temos alguns problemas também. Crise política, crise econômica e fraudes. De acordo com a pesquisa Global Consumer Card Fraud de 2016, somos o 2ª colocado em fraudes através do cartão de crédito no mundo.

O número de fraudes tem aumentado nos ultimos anos, em 2014 éramos o 8ª colocado nessa mesma pesquisa e quase metade dos brasileiros já sofreram esse tipo de fraude. Esses números assustadores se devem a muitos fatores como por exemplo as fraudes realizadas por e-mail.

Pelo e-mail, o fraudador se apresenta como um cliente ou agente de turismo que emite um número alto de passagens. Observando a mensagem com atenção, é possível perceber alguns indícios de fraude.

homme-daffaires-ordinateur-pc.jpg
Vamos imaginar que existe um banco que se chama “Confiável” e que domínio do seu e-mail é “@bancoconfiavel.com.br” e que um fraudador tentará se passar pelo banco enviando um e-mail. Preste atenção nos seguintes pontos:

  1. Remetente: Confirme se o remetente tem o domínio correto do banco. Se o domínio for diferente, como por exemplo, “@bankokonfiavel.com.br” não responda e não clique em nenhum link do  e-mail pois é uma fraude
  2. Assinatura do e-mail: Verifique se as informações da assinatura do e-mail batem com as informações reais como, por exemplo, nome e endereço da empresa.
  3. Conteúdo: Fique atento ao  conteúdo que está no e-mail. Dados de cartão de crédito, a forma de escrita tentando buscar uma formalidade da qual difere do dia a dia dos seus clientes, são alguns dos pontos que são de extrema importância para ficar atento. Outros pontos de atenção são o valor da emissão e embarque imediato. Fraudadores buscarão passagens de alto valor para conseguir mais lucro e  evitar que as ações antifraude.

 

Não esqueça do básico…

Mesmo com as verificações feitas no email, é muito importante que você valide todas as informações que foram passadas. Abaixo, listamos ações que você deve fazer para as vendas se tornarem mais seguras.

  1. Confirmar os dados do cartão de crédito:  Existem diversos serviços na internet que permitem conferir os dados do cartão como o banco emissor, bandeira e data de validade.
  2. Confirmar os dados do passageiro: Valide os dados como CPF na site da Receita Federal. O serviço é gratuito e basta digitar o CPF e a data de nascimento da pessoa.
  3. Validar os dados da empresa: Verifique o site da empresa, páginas de rede social, sites de reclamação, confronte o endereço nesses meios com o enviado no e-mail e tudo isso pode ser feito de forma simples na internet.
  4. Apresentação: Se possível solicite que a pessoa apresente documentos originais e, preferencialmente, pessoalmente. O fraudador evita qualquer contato pessoal onde ele possa ser identificado e por isso tenta fazer pelo e-mail fraude.

Essas verificações reforçam muito a segurança de suas emissões. Ao encontrar uma ou mais divergências, redobre a atenção nessa venda.

Fraude cinematográfica

Fraude cinematográfica

Sejam bem-vindos passageiros do voo VZR2015 do Safeguard. Durante nosso percurso, iremos falar sobre um das maiores histórias de fraudes do mundo. A história de Frank Abagnale Jr, mostrada no filme de Steven Spielberg “Prenda-me Se For Capaz”.

Para aqueles que ainda não viram o filme, conta a história de Frank Abagnale Jr, um jovem que foge de casa com 16 anos após a separação dos pais e começa a cometer pequenas fraudes em descontos de cheques de pagamentos para conseguir viver. Em um primeiro momento, Frank não é bem sucedido, porém, quando descobre que as portas se abrem mais facilmente para pilotos de avião, começa a se passar por um e sua carreira de fraudador decola. Durante sua época de atuação, basicamente nos anos 60, chegou a descontar um montante aproximado de US$ 2.5 mi em cheques falsificados.

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=SosRcIMCr5g?feature=oembed&enablejsapi=1&origin=https://safe.txmblr.com&wmode=opaque&w=540&h=304]

Por que estamos falando disso? Porque, sem tirar mérito de suas habilidades técnicas para fraudar objetos, o que fazia dele um excelente fraudador era sua habilidade de engenharia social.

Engenharia social, termo foi popularizado pelo hacker Kevin Mitcnick no livro “A Arte de Enganar”, é a habilidade de enganar as pessoas a dar informações sem que elas percebam que estas são de extrema importância.

Exemplos? Ligações de “bancos” pedindo para confirmar dados como CPF, RG, endereço e até senhas em alguns casos, pessoas “solicitas” para ajudar idosos no uso dos caixas rápidos ou mesmo “amigos” que usam anos de confiança para dar um único golpe.

Por melhor que seja um sistema anti-fraude, um usuário atento sempre diminui as chances de fraudes.

1 – Sempre desconfie de uma ligação de um número desconhecido pedindo para confirmar informações. Pergunte qual é o problema, desligue o telefone e ligue você para o atendimento ao cliente.

2 – Jamais, em hipótese alguma, dê sua senha para outra pessoa, mesmo que seja para a equipe de suporte. Não tem o porque ninguém alem de você ter essa informação.

3 – Nunca clique em nenhum link de banco recebido por email. Digite você o endereço e vá nas opções que deseja.

Por isso, sempre tenha cuidado e preste muita atenção nas informações que você passa para os outros. Às vezes, algo que parece inofensivo como o nome completo de um parente pode se tornar uma grande dor de cabeça.

Agora, recline a cadeira e divirta-se com a nossa recomendação. Nos falamos em breve com mais dicas de prevenções à fraudes.

Case Gapnet – Entrevista com Alamir Paulo Junior, diretor de tecnologia da Gapnet

Case Gapnet – Entrevista com Alamir Paulo Junior, diretor de tecnologia da Gapnet

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=vpZJ2y3EBFE?feature=oembed&enablejsapi=1&origin=http://safe.txmblr.com&wmode=opaque&w=500&h=281]

Case Gapnet – Entrevista com Alamir Paulo Junior, diretor de tecnologia da Gapnet

Nesta entrevista, Alamir Paulo Junior fala sobre o processo de implantação do SafeGuard, que se tornou a principal ferramenta de combate a fraudes eletrônicas do serviço de consolidação de passagens aéreas da Gapnet.

Promoção de lançamento: Smartphone token com anuidade grátis

Promoção de lançamento: Smartphone token com anuidade grátis

A Vizir acaba de lançar o token eletrônico do SafeGuard para Smartphones e tablets – Android ou iOS. E, para comemorar, quem ganha é o cliente: ao adquirir a solução Safeguard, a anuidade do Smartphone token é grátis!

image  image

O Smartphone token é a aplicação mais simples e prática para quem faz a autenticação de transações eletrônicas por meio do Safeguard: é garantia de segurança aliada à comodidade de transportar seu token no próprio dispositivo móvel.

Fale conosco e saiba mais sobre o Safeguard e as facilidades da aplicação token para celulares e tablets.

7 consolidadores lançam sistema de token anti-fraude

7 consolidadores lançam sistema de token anti-fraude

Hoje saiu no PANROTAS uma matéria sobre o SafeGuard, onde Luciano Coccotti (Flytour), Juca Lins (Gapnet), Alamir Paulo (Gapnet) e Antonio Anderson Souza falaram um pouco sobre como o SafeGuard surgiu, a importância desta iniciativa de prevenção contra fraudes no mercado de turismo e como é seu funcionamento.

7 consolidadores lançam sistema de token anti-fraude