Chargeback: entenda o que é e como é efetuado

Chargeback: entenda o que é e como é efetuado

Dados mostram que o uso de cartão de crédito pelo brasileiro dobrou nos últimos 5 anos. A facilidade de poder pagar a prazo e de comprar sem sair de casa são dois motivos que justificam especialmente esse crescimento.

Oferecer esse tipo de pagamento, portanto, é especialmente importante para os resultados dos negócios, especialmente o e-commerce. Para conseguir o máximo de segurança na atuação, um conceito precisa ser conhecido: o chargeback. A seguir, veja do que se trata essa situação e entenda como ela acontece.

chargeback-entenda-o-que-e-e-como-e-efetuado-entregar

O que é o chargeback?

O chargeback consiste na obrigatoriedade de devolução de dinheiro quando uma compra feita por cartão de crédito ou débito é considerada inválida. Ou seja, o chargeback é o cancelamento de uma compra que havia sido inicialmente aprovada, o que gera especial dor de cabeça para o vendedor.

É um processo que acontece muito frequentemente nas lojas virtuais, já que a transação feita a distância não possui nenhuma garantia de conclusão por parte da operadora de cartão de crédito.

O cancelamento ou chargeback acontece mediante duas condições principais: quando o cliente não reconhece a compra realizada ou quando a operação acontece em desacordo com a política da operadora do cartão.

O principal efeito disso é que o negócio sofre com o prejuízo. A compra já havia sido realizada, a nota fiscal já foi emitida e não pode ser desfeita, o produto já foi potencialmente enviado/utilizado e, ao final, há a solicitação de devolução do dinheiro.

O problema é ainda pior quando o negócio já havia comprometido esses recursos. Embora isso pareça mais simples em uma única transação, se o negócio sofre dezenas ou centenas de chargebacks há um acúmulo cada vez maior de prejuízos.

Qual a diferença entre chargeback e arrependimento de compra?

No e-commerce, há um direito garantido pelo Código de Defesa do Consumidor: o arrependimento de compra. Nesse caso, em até 7 dias o cliente pode solicitar o dinheiro de volta sem que haja um motivo específico.

Embora pareça se tratar da mesma coisa, chargeback e esse arrependimento não são a mesma coisa. Enquanto o arrependimento é um direito que pode ou não ser executado pelo cliente, o cancelamento da compra em si é baseado em questões contratuais e que têm a ver com a operadora do cartão em questão.

Além disso, há uma diferença quanto ao prazo. O arrependimento de compra pode ser efetuado em até 7 dias úteis após a compra, mas o chargeback pode ocorrer somente quando o cliente recebe a sua fatura, por exemplo.

Quais as condições para o chargeback?

A questão mais importante é entender quais são as condições para esse cancelamento de compra. Essas condições são acordadas entre o lojista e a operadora do cartão e por isso é necessário avaliar muito bem o contrato.

Em geral, as operadoras possuem uma política de cancelamento de compra mediante a solicitação embasada do cliente. Com isso, as responsabilidades caem inteiramente em cima do lojista, especialmente o virtual.

Como evitar o chargeback?

Considerando que a operadora de cartão não garante a validação das compras, é preciso atuar de modo a evitar a invalidação das transações. Para isso, a melhor maneira é buscando evitar fraudes, o que diminui as solicitações por parte dos consumidores devido ao não reconhecimento de compras.

Nesse cenário, a melhor atitude consiste em contratar um sistema antifraude. Dessa forma, o negócio passa a ter uma margem de segurança maior sobre as compras realizadas de modo a evitar situações do tipo.

O chargeback é um grande problema para boa parte dos lojistas virtuais, já que o cancelamento de compra inválida ou não reconhecida gera prejuízos. Para diminuir os impactos dessa situação, o melhor é contratar um sistema contra fraudes, garantindo a conclusão adequada das compras.

Você enfrenta esse tipo de problema? Ainda tem alguma dúvida? Participe nos comentários!